segunda-feira

Bran , o viajante do tempo - do Folclore Celta

Bran era um grande navegador da Irlanda antiga. Certo dia ele encontrou umalinda varinha de prata. Então reuniu seus homens e balançou a varinha para testar se ela possuía algum poder mágico.No mesmo instante surgiu ao seu lado uma jovem belíssima. Ele entoou uma melodiosa canção em qe descrevia as maravilhas do mundo de onde viera. Nascera nas ilhas encantadas do Outro Mundo, nas quais não há tristeza ou sofrimentos. Quando sua voz se calou, todos continuaram imóveis diante de tamanha surpresa, e antes que alguém pudesse impedí-la, a jovem tirou a valinha das mãos de Bran, fez com ela um gesto e desapareceu.
Apaixonado pela jovem, Bran reuniu sua tripulação e imediatamente partiu numa viagem em busca das ilhas encantadas onde morava sua amada. Depois de muito navegar, a anu de Bran atravessou o limiar do mundo real e penetrou nas águas enfeitiçads do universo mágico. As ondas do mar transformaram-se em flores e árvores aquáticas.
Logo em seguida a nau de Bran chegou à Ilha da Felicidade, e todos ficaram deslumbrados com sua beleza. Mas era difícil atracar, pois o mar estava muito bravio. Bran avistou sua amada e acenou-lhe.Ela então lançou uma corda mágica em direção ao navio, que o amarrou na proa e o puxou até o porto.
Bran e todos os tripulantes se casaram com as moças da ilha, exceto umque queria regressar à Irlanda pois sentia saudades da namorada.
O tempo foi passando e, embora Bran e seus amigos tivessem a impressão de que se encontravam na ilha havia poucos meses, muitos anos haviam se passado.
Quando Bran voltou à terra natal para levar o amigo que não se casara, percebeu que tudo estava mudado. Havia uma estátua dele no meio do porto : ele se tornara uma lenda.
- Fique conosco-disse ele ao amigo- não desça do navio. Tudo mudou, estes são outros tempos. Venha, precisamos retornar à Ilha Mágica.
Mas o amigo ignorou seus conselhos, lançou-se ao mar e nadou até a praia. Porém, assim que fincou o pé na areia, seu corpo se transformou numa estátua de cinzas que rapidamente se desvaneceu.
Os olhos de Bran encheram-se de lágrimas. "E se eu me perder no mar ? E se não conseguir regressar à Ilha ?" pensou. Mas neste mesmo momento, a corda mágica de sua amada enroscou-se na proa da embarcação e Bran foi levado de volta à Ilha da Felicidade, onde continua a viver até os dias de hoje .
Este conto foi publicado no Livro "Lá vem História" - Heloísa Prieto, Cia das Letrinhas

Entrou por uma porta...saiu pela outra...quem quiser que conte outra !
Beijinhos mágicos, Betty

Nenhum comentário: